Guia completo de Paraty: onde ir, onde comer e onde ficar

Por Bruna Amaral,

Paraty é um paraíso natural a apenas quatro horas do Rio de Janeiro. A cidade possui 80% de sua área preservada por leis ambientais, o que faz da região um lugar privilegiado em que história, cultura e natureza convivem em harmonia e oferecem atrativos para todo o tipo de viajante.

Por lá é possível fazer trilhas, passeios em cachoeiras e alambiques de cachaça, visitar quilombos, praticar esportes de aventura ou simplesmente desfrutar da paisagem única e da gastronomia local. Em Paraty, a simbiose entre centro histórico e mar é única e há opções para agradar famílias, casais apaixonados, viajantes aventureiros e amantes da natureza. Além disso, a cidade no estado do Rio de Janeiro é a 9ª colocada no Brasil no ranking trivago das cidades com melhor custo-benefício, pois combina satisfação dos hóspedes com bom preço. Para ajudar quem quer passar dias inesquecíveis nessa cidade ímpar, elaboramos um guia com o melhor sobre o que fazer, onde ir, onde comer e onde ficar em Paraty.

Confira:

Quando ir | Atrações Culturais | Centro Histórico | Circuito das Igrejas | Atrações Naturais | Praias | Ilhas | Cachoeiras e Caminho do Ouro | Onde Comer | Onde Ficar|

 

centro histórico de paraty

Centro Histórico de Paraty. Foto: © André Azevedo / Setur Paraty

 

Quando ir a Paraty


O verão é a melhor estação do ano para quem quer curtir as praias e cachoeiras da região. A estação, no entanto, também apresenta a maior incidência de chuvas da região. Durante o resto do ano, chove bem menos e não faz muito frio – a média de temperatura no ano inteiro fica por volta dos 20°C em Paraty. A baixa estação também brinda o visitante com menos movimento e preços mais atrativos. Mas se você gosta mesmo é de agito, a melhor época para ir a Paraty é durante a Festa Literária Internacional, a Flip, que acontece entre os meses de julho e agosto. Os apreciadores de uma boa pinga se encontram em Paraty no último final de semana de agosto, quando rola o Festival da Cachaça. Durante feriados e celebrações católicas, a cidade também tem programação especial. Resumindo: Paraty é o destino perfeito para uma visita em qualquer época do ano.

 

Atrações culturais


Poucos centros históricos do Brasil são tão conservados e fiéis ao original. As ruas de paralelepípedo, os casarões coloniais e as igrejas do centro de Paraty são todos tombados pelo Instituto do Patrimônio Histórico Nacional. Construído entre os séculos 18 e 19 em uma área compreendida entre o rio Perequê-Açu e a Baía de Parati, o local tem trânsito apenas para pedestres, o que torna o passeio ainda mais tranquilo e convidativo. Em alguns minutos a pé pelo centro já é possível conhecer vários dos cartões-postais da cidade, como a igreja de Santa Rita, erguida em 1722. Além disso, na região e em seus coloridos sobrados estão bares, restaurantes e lojas de artesanato local.

Centro Histórico

centro historico 2 © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Centro Histórico de Paraty. Foto: © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

 

Diferente da maioria das cidades brasileiras, Paraty foi uma cidade planejada. Engenheiros militares portugueses, cientes da vocação portuária da cidade e da necessidade de defesa do local, definiram como seriam as ruas e onde ficariam as igrejas, praças, cadeia, câmara, fortes e as áreas residenciais. O padrão seguido foi o mesmo das cidades portuguesas, onde as igrejas eram um ponto central. As casas foram construídas acima do nível da rua por causa da invasão das águas das marés, previstas para limpar a cidade, principalmente por conta do alto trânsito de cavalos e burros de cargas. O Centro Histórico de Paraty possui trinta e um quarteirões e quatro praças. Em quase todas as esquinas do bairro histórico, há três cunhais de pedra lavrada, formando um triângulo imaginário, símbolo maçônico que representa Deus. Na década de 1970, os acessos ao centro histórico foram fechados com correntes, impedindo a entrada de veículos pelas ruas de pedras.

 

paraty colagem © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

© André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Cheio de casarões coloniais e portinhas coloridas, o Centro Histórico de Paraty é um charme só. A Praça da Matriz apresenta-se como única área verde dentro do Bairro Histórico. O local fica na margem direita do Rio Perequê-Açu e a sua volta, além do próprio rio, tem a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios e lindíssimos sobrados do século XIX. A praça é onde concentra-se a maioria das atividades sociais, de comércio, esporte e lazer da cidade.

Já o Largo Santa Rita abriga uma igreja de mesmo nome, o museu de Arte Sacra e o prédio da Casa de Cadeia. De lá se observa a baía de Paraty, o cais do porto e o prédio do antigo mercado da cidade (atualmente uma pousada). Na rua Dr. Samuela Costa/ rua do Rosário é onde ficam a prefeitura e a câmara municipal de Paraty.  No interior da câmara, estão relíquias do passado da cidade ligado à maçonaria e uma litografia de D. Pedro II do século XIX.

 

Circuito das igrejas

Em Paraty, quem gosta de arte sacra encontra várias opções. No Centro Histórico, estão a Igreja Matriz (Nossa Senhora dos Remédios), Igreja de Santa Rita, Igreja de Nossa Senhora do Rosário e Igreja de Nossa Senhora das Dores. Apenas a Igreja de Nossa Senhora da Conceição fica no bairro de Paraty-Mirim, um pouco fora da parte central da cidade, mas um passeio que vale a pena fazer.

paraty igrejas

Igreja Santa Rita (esq) e Igreja Nossa Senhora das Dores (dir.) Fotos: © André Azevedo e Ricardo Gaspar / Secretaria de Turismo Paraty


Igreja de Santa Rita
No Largo da Santa Rita, pertinho do Cais do Porto, fica a Igreja de Santa Rita. O prédio fica de frente pro mar e data do século XVIII. A construção é considerada uma das mais valiosas de Paraty do ponto de vista arquitetônico. No local, fica o Museu de Arte Sacra, com acervo que reúne objetos e utilitários em ouro e prata, imagens de santos, mobiliário e peças de época. Depois de reformas, o espaço foi reaberto em 2015 e agora conta com exposição multimídia em três idiomas. Um atrativo à parte é o anjinho que fica na janela da igreja e mexe a cabeça em agradecimento quando recebe moeda dos passantes. O local abre de terça a domingo das 9h às 12h e das 14h às 17h. A entrada é franca nas terças-feiras e custa R$ 4,00 nos outros dias.

 

Igreja Matriz ou Igreja de Nossa Senhora dos Remédios
O prédio levou 83 anos até ser terminado em 1873. A igreja Matriz no Centro Histórico de Paraty possui uma construção imponente em estilo neoclássico. O prédio chama atenção pela sobriedade e imponência das torres. No altar-mor, ficam a imagem da padroeira da cidade e outros quatro pequenos altares e duas capelas. A atração abre de segunda a sexta das 9h às 12h e das 13h às 17h30min e nos sábados das 8h30min às 12h e das 13h às 16h. A entrada custa R$ 2,00.

 

Igreja de Nossa Senhora do Rosário
Em frente o prédio da Prefeitura de Paraty, no Centro histórico, está a Igreja Nossa Senhora do Rosário. A construção data de 1722 e passou por reedificação em 1757. A Igreja tem no seu acervo imagens de Santa Bárbara e São Francisco em madeira. Um detalhe significativo da construção é o adorno em forma de abacaxi que serve de suporte ao lustre de cristal no centro da nave. A igreja abre de quarta a sexta das 9h às 12h e das 13h às 17h.

 

Igreja de Nossa Senhora das Dores
O templo foi construído em 1800 para a aristocracia e ficou um bom tempo abandonado. Por volta de 1901, a “Capela das Dores” ou “Capelinha” foi reformada e revitalizada pela Irmandade de Nossa Senhora das Dores. Na parte de trás da igreja, há um cemitério em estilo columbário (com tumbas embutidas). Visitas podem ser feitas em sábados, domingos e feriados das 13h30min às 18h.

 

27_Paraty-Mirim peq

Igreja de Nossa Senhora da Conceição em Paraty-Mirim. Foto: © André Azevedo / Setur Paraty

Igreja de Nossa Senhora da Conceição
Fora do Centro Histórico, a visita à Igreja de Nossa Senhora da Conceição pode ser programada junto com um passeio até a Praia de Paraty Mirim. A data de construção da igreja não é definida. São poucas as referências históricas, no entanto sabe-se que o local já foi denominado Porto do Ouro e constituía-se alternativa ao Porto de Paraty nas transações comerciais e escoamento do ouro.

>>> Dicas para uma viagem romântica em Paraty

 

 

Atrações naturais 


Cerca de dois terços dos 917 km² do município de Paraty são protegidos por leis estaduais, federais e municipais. Paraty ainda possui boa parte da vegetação original. Protegida pelos morros escarpados da Serra do Mar, a Mata Atlântica permaneceu intacta e ainda hoje é possível encontrar pedaços de mata virgem. Em Paraty, parques nacionais, praias quase desertas, cachoeiras e muito contato com a natureza aguardam os visitantes.

colagem praias © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

© André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

 

Praias

A cidade possui mais de 100 praias, cada uma com uma qualidade especial. Muitas delas são acessíveis apenas por barco ou carro e em geral recomenda-se a presença de um guia para maior segurança. Veja algumas das praias que recomendamos:

Praia do Sono

Praia do Sono em Paraty

Praia do Sono, em Paraty. Foto: © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

 

Paraty abriga um paraíso escondido em meio a Mata Atlântica com belas paisagens, é a Praia do Sono, uma vila de pescadores onde atualmente vivem cerca de 60 famílias que se sustentam da pesca artesanal e agricultura, constituindo uma comunidade caiçara tradicional. Acessível por trilha, com uma caminhada leve de um pouco mais de uma hora, ou de barco com agendamento prévio, a Praia do Sono é um lugar perfeito para quem busca tranquilidade em sua orla sombreada por amendoeiras nativas. Com areias finas e águas transparentes, o local reserva momentos inesquecíveis junto a Reserva Ecológica da Juatinga, uma unidade de conservação de proteção integral do estado do Rio de Janeiro que abriga importantes ecossistemas da Mata Atlântica.

Antiguinhos é uma praia deserta perto da Praia do Sono em Paraty. Foto: © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Antiguinhos é uma praia deserta perto da Praia do Sono em Paraty. Foto: © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

 

A infra-estrutura turística no local é mínima, na alta temporada e em finais de semana, algumas casas de pescadores fornecem refeições simples e bebidas. Não há pousadas, mas há campings (na verdade, quintais das casas dos caiçaras localizados junto à praia). Antigos e Antiguinhos são duas praias belíssimas, acessíveis por uma trilha íngreme no final da Praia do Sono. Protegidas por uma dura caminhada, elas ficam praticamente desertas durante todo o ano. Ainda em estado selvagem, essas praias não possuem quiosques ou casas.

 

Praia da Lula

praia Lula em Paraty © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Praia da Lula em Paraty. Foto: © André Azevedo / Setur Paraty

Praia da Lula fica a 60 minutos de Paraty, entre as Praias Vermelha e da Conceição e é parada certa dos saveiros que saem a passeio. Com águas claras e tranquilas, é local ótimo para banho e snorkqueling. A vegetação densa e as nascentes da região dão o toque final na paisagem. A praia tem acesso por Paraty ou Paraty-Mirim.

 

Paraty-Mirim

A pequena vila de pescadores possui restaurantes simples e pequenas pousadas para atender aos turistas. Outra boa opção é pegar um barquinho e ir conhecer o Saco do Mamanguá com duas pequenas praias: do Sobrado e do Cruzeiro. No local também fica a área de lazer de Paraty-Mirim.

 

Ilhas

O litoral de Paraty começa no Distrito de Mambucaba (divisa com Angra dos Reis) e termina na Vila de Trindade (divisa com Ubatuba). Nesse extenso recortado está inserida a Baia de Paraty, que possui 65 ilhas e centenas de praias. O território municipal, por sua vez, integra a região conhecida como “Costa Verde” fluminense, ao sul do estado do Rio de Janeiro. Veja indicações das melhores ilhas de Paraty:

 

Ilha Sapeca

© André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Ilha Sapeca Foto: © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Fica entre a Ilha do Malvão e a Ilha Comprida, a 40 minutos do cais de Paraty. É também conhecida pelo nome de Ilha do Sapê. A Ilha Sapeca caracteriza-se por suas formações rochosas, habitat natural de várias espécies marinhas. Suas águas claras, limpas e transparentes permitem observar a intensidade da vida subaquática, com muitos cardumes coloridos. É um dos lugares mais visitados pelos saveiros que cruzam a Baía de Paraty. Pequena trilha na encosta conduz ao alto da ilha (45m), verdadeiro mirante natural com belo visual sobre a região. O acesso à ilha se dá por meio de barco pelo cais de Paraty.

 

Ilha Comprida

Ilha_Comprida em paraty

Ilha Comprida em Paraty. Foto: © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Quer nadar com peixes em águas cristalinas? Esse é o local perfeito! Ilha Comprida fica ao norte da Ilha do Catimbau, em frente ao Morro da Conceição, a 40 minutos do cais de Paraty. O local é ideal para mergulho com extensos costões rochosos frequentados por várias espécies de peixes. Suas águas são límpidas e transparentes e cheias de cardumes coloridos e grandes formações de corais. Passeios levam os turistas até a ilha que é de propriedade privada.

 

Cachoeiras e o Caminho do Ouro

Na estrada Paraty-Cunha, há varias cachoeiras com trilhas que foram abertas por escravos, poços para banho e escorregador. Na região, há também fazendas, sítios históricos, lojas de artesanato local e exposição de objetos antigos que contam a história do Caminho do Ouro, um encantador circuito turístico, cheio de vestígios históricos e cercado por uma natureza exuberante. A região do Caminho abriga muitas das melhores e mais visitadas cachoeiras da região e a infraestrutura completa para receber visitantes com bons restaurantes e pousadas aconchegantes. O circuito tem várias cascatas, cachoeiras, riachos, pássaros e flores. Na região, também é possível visitar oficinas onde a arte, artesanato local e diversos alambiques. Veja alguns destaques:

 

Poço do Inglês

poço do inglês em paraty © André Azevedo / Secretaria de Turismo Paraty

Belíssima piscina natural, com água transparente, cercada por vegetação nativa, excelente para mergulho. Um pequeno córrego passa paralelo à trilha que leva até ao Poço dos Ingleses. Há uma corda amarrada em árvore que permite pular de cima da pedra até o meio do poço no melhor estilo Tarzan. De fácil acesso e excelente para mergulho, o poço tem águas transparentes e é cercado por vegetação nativa.

 

Cachoeira da Pedra Branca

26_Pedra_Branca peqeunaA Cachoeira da Pedra Branca fica na estrada Paraty-Cunha Ponte Branca a cerca de 10 km do centro. Com duas quedas d’água, a cachoeira tem três piscinas naturais de águas claras. No percurso até lá, passa-se pela Fazenda Murycana que possui um museu de artefatos antigos, um alambique, lojinha, ótimo restaurante de comida caseira, além de atividades de lazer e esporte de aventura. O proprietário da fazenda onde estão as cachoeiras cobra pequena taxa de ingresso, utilizada na manutenção e limpeza do local.

 

Outras cachoeiras na região

Cachoeira da Penha/ Tobogã:  fica a  9 km do centro e possui saltos, piscinas naturais e escorregador natural.

Cachoeira da Ingraça: fica a  6 km do centro e possui grande poço, pequenas quedas e escorregadores naturais.

Veja a localização e uma breve descrição de todas as cachoeiras da região de Paraty.

 

Onde comer em Paraty


Paraty é conhecida por algumas das suas especialidades gastronômicas. E pela cidade existem inúmeros restaurantes onde o visitante pode comer Azul Marinho (peixe cozido com bananas verdes), camarão casadinho (com recheio de farofa), caranguejo cozido, paçoca de banana, compota de laranja com melado, manuê de bacia (doce à base de melado de cana, a farinha de trigo) ou Paspalhão (doce feito de mandioca, açúcar, coco e canela). Selecionamos alguns dos melhores restaurantes da região onde você pode provar estas delícias.

Bartholomeu

restaurante bartholomeu em paraty

Com um cardápio baseado na cozinha contemporânea, com influências internacionais e acento nos ingredientes do mar de Paraty, o Bartholomeu serve pratos que encantam os clientes. No restaurante, o melhor dos ingredientes da culinária caiçara, como a banana-da-terra, a mandioca, a farinha de mandioca, o palmito pupunha, as linguiças de Cunha, além do arroz preto, exclusividade produzida no Vale do Paraíba, são a base da culinária. A carta de vinhos, rigorosamente escolhida para se adequar ao cardápio, oferece vinhos do Velho e Novo Mundo.

 

Margarida Café

margarida café em paraty

Em frente à Praça do Chafariz, no acesso ao Centro Histórico, fica o Margarida Café. O restaurante possui uma decoração cuidadosamente escolhida, bar, lounge e outros “cantinhos” aconchegantes. O cardápio contemporâneo apresenta variedade de carnes, aves e frutos do mar, entradas diversas, caldos, paellas e pratos a base de massa. Todos produtos bem brasileiros e com uma pitada da culinária internacional. Todas as massas e pães servidos no restaurante são produzidas no Margarida.

Casa Coupê

casa coupe em paraty

O Bar Coupê abriu em Paraty em 1952 sob o comando de Seu Benedito Coupê na esquina mais movimentada da cidade, na Praça Matriz. Desde 2011, o bar virou Casa Coupê e com a supervisão de Paulo Renato segue como um dos pontos de encontro obrigatórios da cidade. Com cardápio variado e petiscos típicos de boteco, a casa oferece uma atmosfera descontraída e, em várias ocasiões, música ao vivo.

 

Restaurante Santa Rita

Quase um patrimônio de Paraty, o restaurante Santa Rita serve pratos típicos, como o peixe Azul Marinho, há mais de 44 anos em um sobrado colonial bem ao lado da Igreja de Santa Rita. O cardápio também inclui opções de peixes, frutos do mar, carnes e aves em pratos bem servidos. A carta de vinhos do estabelecimento inclui mais de 40 rótulos nacionais e importados. O estabelecimento abre diariamente para almoço e jantar.

 

Onde ficar em Paraty


Paraty possui toda a estrutura hoteleira para atender os turistas que querem visitar a cidade com hotéis e pousadas para os mais variados gostos. No último ano, a média de preços de acomodação em Paraty ficou em R$ 378 por noite para quarto duplo, segundo o Índice de Preços de Hotel do trivago (tHPI). Veja algumas dicas de acomodação na cidade:

Casa Turquesa

Fotos: Fotos: © André Azevedo

Fotos: © André Azevedo

A pousada Casa Turquesa fica no coração do Centro Histórico de Paraty e promete ser uma experiência inesquecível para quem vai a Paraty em uma viagem a dois. São apenas 9 suítes, todas com camas king ou queen size. O local só aceita a hospedagem de adultos e todos os hóspedes recebem uma carta escrita pela proprietária, Tetê Etrusco, em tom pessoal com sugestão de passeios pela cidade. Além disso, o café da manhã é todo “artesanal”, preparado na própria cozinha da pousada e servido individualmente sem hora para acabar. Para o happy hour, vocês podem curtir no bar da casa, um dry turquesa, a especialidade do local, que tem piscina, ar-condicionado, wi-fi, piscina e muito mais.

Ver Ofertas

 

Pousada do Príncipe

pousada do príncipe em ParatyA menos de 1 km do Centro Histórico, fica a Pousada do Príncipe. As instalações ocupam uma casa do período colonial. São 34 apartamentos disponíveis com vista para os jardins internos ou para a piscina, equipados com ar condicionado, TV a cabo. A pousada apresenta uma infraestrutura confortável com salas de estar, bar, terraço com piscina, cadeiras e guarda sol, entre outras comodidades.

                                                 Ver Ofertas

 

 

Pousada Praia do Jabaquara pousada praia do jabaquara em Paraty

Pousada Praia do Jabaquara oferece acomodações de qualidade por um bom preço em Paraty. Os seus quartos são equipados com wi-fi, ar-condicionado, frigobar. Além disso a pousada ainda possui um jardim interno e piscina para os hóspedes. O destaque fica com o café da manhã completo frutas frescas, cereais, pães e sucos.

Ver Ofertas